EXAMES REALIZADOS

IMUNOFLUORESCÊNCIA

IMUNOFLUORESCÊNCIA

É um exame realizado em material não fixado de biópsias (em geral pele e rim) para demonstrar a presença de imunoglobulinas. Este exame auxilia no diagnóstico e classificação de lesões como glomerulopatias e algumas doenças da pele.

A técnica de Imunofluorescência Direta se baseia numa reação antígeno-anticorpo. Esta técnica permite a visualização de antígenos em tecidos ou em suspensões celulares utilizando corantes fluorescentes (fluoresceína isocianetada e rodamina). Quando o corante está ligado ou conjugado com um anticorpo, os locais de reação entre o antígeno e o anticorpo conjugado podem facilmente ser visualizados.

Este método é utilizado para diagnóstico de doença glomerular renal e algumas doenças cutâneas, mediante a detecção e localização de imunoglobulinas, componentes do complemento e fibrina na membrana basal glomerular, mesangio e paredes vasculares, assim como na junção dermo-epidérmica.

Os cortes do tecido são obtidos através do criostato, logo após recebem os anticorpos conjugados com fluoresceína. As lâminas são colocadas em câmara úmida e escura para impedir a passagem de luz. Para finalizar, é aplicado o corante Azul de Evans. Guardar em geladeira até a leitura pelo patologista.

Para que possamos receber as amostras de maneira adequada e descomplicada, é essencial contato com o laboratório antes da coleta da amostra
(biópsia).


A amostra destinada ao exame de imunofluorescência deve ser imersa diretamente na solução de Michel (meio de transporte), sem passar por outros fixadores antes. O frasco com a amostra deve ser conservado em temperatura ambiente.

  • Obter no mínimo duas amostras (dois fragmentos).
  • Colocar uma 1ª amostra em formol a 10% para exame de Microscopia Óptica.
  • Colocar a 2ª amostra na solução de Michel para Imunofluorescência direta (esta amostra não pode ser imersa no fixador formol).

A requisição médica é um documento e deve ser preenchido corretamente, com letra legível, deve estar assinada e conter o nome do médico solicitante, CRM, carimbo e seu telefone para contato.

Deve obrigatoriamente conter nome completo do paciente, idade, sexo, etnia, nome da mãe, antecedentes pessoais e familiares de relevância para o diagnóstico, identificação do material, topografia anatômica do mesmo.

Lembrar sempre de informar as hipóteses clínicas, resultados de exames de imagem relacionados e exames (anatomopatológicos ou outros) pregressos relevantes.

As amostras podem ser potencialmente infectantes até sua fixação. Devem ser manuseadas conforme as normas existentes. Informar ao LABPAC se houver risco infectante adicional (por exemplo: portadores de HIV, Hepatite C, etc).

Nossos agentes logísticos retiram os materiais nos Hospitais conveniados, estão preparados e treinados com Curso de Movimentação Operacional de Produtos Perigosos – MOPP utilizando os meios necessários para sua segurança e do material.

Poderão ser entregues pessoalmente.

Trabalhamos com um prazo máximo de 05 dias úteis para a entrega de resultados normais ou conforme contrato acordado. Exames de urgência em até 24h, em situações especiais esse tempo pode ser reduzido.

A amostra devidamente acondicionada na Solução de Michel deve ser enviada ao LABPAC em até 72 horas (tempo ideal sem que seja prejudicada a demonstração dos depósitos teciduais), podendo ainda permanecer na solução de transporte por até 7 dias (tempo máximo).

LABPAC
Rua Calixto da Mota, 72 - Vila Mariana
São Paulo - SP - 04117-100
Telefones: (11) 3284-2622 | (11) 3938-2724
recepcao@labpac.com.br
www.labpac.com.br

2016 | LABPAC | Todos os direitos reservados.